12 September 2017

CDU reafirma compromisso com os táxis

Candidatos CDU e Setor do Táxi
Article Image

Os candidatos da Coligação Democrática Unitária (CDU) às autarquias do distrito de Lisboa convidaram os profissionais do Setor a participarem num jantar–convívio, no dia 8 de setembro, na Casa do Alentejo, em Lisboa. O jantar com o Setor do Táxi teve como pano de fundo o período de campanha eleitoral para as Autárquicas 2017, e visou ouvir e debater os compromissos dos candidatos com o Setor.

A CDU renovou o seu empenhamento para com o Setor, quer no combate ao transporte ilegal de passageiros, quer quanto às propostas para sua modernização e revitalização, de forma a melhor responder às necessidades das comunidades.

Num encontro cheio de música, intervenções, discussão saudável e boa disposição estiveram candidatos às eleições autárquicas nos concelhos de Lisboa, Vila Franca de Xira, Odivelas, Amadora, Oeiras, Cascais, Sintra, Mafra, Torres Vedras, Sobral de Monte Agraço, Arruda dos Vinhos, Alenquer, Azambuja, Cadaval e Lourinhã.

O candidato Bernardino Soares falou pela CDU aos profissionais ali reunidos em convívio e sublinhou que “o reforço da CDU garantirá ao Setor do Táxi aliados mais fortes e dará força a quem deu força ao Setor”, reafirmando o compromisso daquela força política para com “quem tem resistido”, pois “ninguém tem dúvidas de que a luta vai continuar e até vai ter que crescer”, mesmo depois de algumas vitórias políticas no combate à ilegalidade nos transportes.

Carlos Ramos, presidente da FPT, salientando o “protagonismo do PCP e da CDU no combate ao transporte ilegal de passageiros em viaturas ligeiras”, afirmou que o Setor está forte da defesa dos seus direitos, pois os seus profissionais continuam “atuantes, atentos na recusa à regulamentação das plataformas digitais que se arrasta na Assembleia da República, sempre exigindo que no final há que respeitar os contingentes de frota de táxis já existentes, direito e obrigação de um poder local que se quer interventivo, decisivo, respeitador da Lei, força vital da Democracia”.

Eduardo Cacais, um dos profissionais que interveio, constatando o “intenso ataque” a que o Setor está sujeito, apelou à continuidade da luta, na rua, nas autarquias e nas instituições como a Assembleia da República, o Governo, o Presidente da República, o IMT, as forças da autoridade, entre outras, “ganhando aliados para derrotar as multinacionais” que atuam ilegalmente.

Rodolfo Melo também uniu a sua voz às intervenções e considerou que “o Poder local não é um espaço neutro de exercício do poder, como neutras não são as suas políticas e os responsáveis que em cada autarquia as implementam, mas que deverão ter uma prioridade apurando as reais necessidades das populações”, reconhecendo também o “apoio que nos têm dado, na defesa contra esta ofensiva que o Setor do Táxi tem sofrido nestes últimos anos”.

A expetativa do Setor no âmbito destas Eleições Autárquicas é elevada e a Federação sublinha que é às autarquias que cabe a responsabilidade de estabelecer regulamentos e contingentes, capacidade que não pode nem deve ser-lhes retirada.

Conheça mais das intervenções nesta iniciativa na próxima edição da sua Revista Táxi!

Voltar à Homepage

Back to Top