29 July 2016

ANA Aeroportos e FPT em diálogo

Praça de táxis do Aeroporto Humberto Delgado – Lisboa
Article Image

Com o objetivo de agilizar o fluxo do serviço de táxis na praça do Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, a Federação Portuguesa do Táxi foi recebida pela ANA Aeroportos, hoje, dia 28 de julho.
Rodolfo Melo e Eduardo Cacais representaram a FPT e apresentaram as propostas da Federação ao representante da ANA, Pedro Abreu.
A FPT está preocupada com a aglomeração de passageiros, em longas filas junto à praça de táxis das chegadas, o que pode configurar situações de fragilidade na segurança. “Tantas pessoas e bagagens em filas tão longas e com tanto tempo de espera nas alturas de maior fluxo podem gerar situações mais complicadas”, salientaram os representantes da FPT, sublinhando a vontade da Federação em participar e colaborar na busca de soluções para o efeito. A situação inclui ainda o parque que algumas vezes está cheio, o que faz com que os táxis circulem pela zona enquanto esperam a sua vez de entrar na praça, com os congestionamentos que isso pode provocar.
Com a realização de eventos internacionais de grande relevância em Lisboa, com grande movimentação de passageiros no Aeroporto, a Federação e a ANA pretendem, a breve trecho, colaborar para agilizar o fluxo dos serviços.
Pedro Abreu realçou que a ANA está a estudar a situação e possíveis alternativas para, brevemente (Agosto) encontrar e implementar as soluções necessárias. Acolheu a proposta da FPT e salientou que a ANA está já em conversações com a PSP.
O segundo ponto da agenda foi o acesso às partidas para deixar passageiros de táxi. Naquele local, onde já não existe praça de táxis, há viaturas que estacionam, impedindo o acesso aos motoristas que pretendem deixar os passageiros destinados às partidas. A ANA está atenta e garante que este assunto também está a ser considerado, agradecendo a colaboração da Federação.

Assim foi proposto:
1. Criar uma fila única de táxis com tomada de passageiros simultânea a várias viaturas possibilitando um aumento para cerca de 8 a 10 unidades.
2. Libertar a fila da esquerda para que, à medida que os passageiros se acomodam nas viaturas com a respetiva bagagem, os táxis possam iniciar a marcha e disponibilizar o local para outro táxi sem estar condicionado pelos colegas precedentes.
3. Criar local à frente da fila da praça para que passageiros que necessitem de táxi com características específicas possam aguardar o primeiro táxi que tenha o requisito desejado (mobilidade reduzida, aceite cartões de pagamento de débito ou crédito, maior capacidade para passageiros/bagagem, etc) avance e proceda ao embarque dos passageiros. Estas viaturas deverão ser chamadas ou mandadas avançar pelos elementos que fazem o apoio à praça de táxis (da PSP e/ou da ANA).
4. Retirar o elemento metálico que condiciona a circulação dos passageiros e não permite uma agilização do processo de distribuição das pessoas pelos veículos. Em substituição propõe-se a utilização de pilares com fitas amovíveis que poderão ser colocados ou movidos de acordo com as necessidades de cada momento.

Voltar à Homepage

Back to Top